sábado, 18 de julho de 2009

RESIDINDO NA KESHAVAJI MATH

Gurudeva e eu estávamos lá no dia em 1955, quando Abhay Prabhu veio de novo para a Kesavaji Gaudiya Math de Mathura. Nós nos abraçamos. Antes de vir ele tinha sido bem sucedido em seus negócios em Allahabad, Prayaga Pharmacy, com o qual era muito famoso. Muitas personalidades importantes incluindo o primeiro ministro da Índia , compravam em sua loja. Ele havia viajado por todas as cidades importantes do norte-Dheli, Kampur, Lucknow, Agra, Jhansi, Mathura e outras cidades para entregar alguns remédios que acabara de descobrir.

Kunja Bihari Prabhu, sênior discípulo da Matha, era especialmente devotado a ele nesta época. Ele o ajudou a pegar suas malas e também levava prasadam para ele enquanto trabalhava. Depois de um tempo o seu trabalho encerrou e ele foi a Calcutá. Em seguida, ele veio de novo para Mathura trazendo uma fórmula medicinal para distribuir para as lojas, mas elas não estavam boas. Estava vivendo distribuir para as lojas, mas elas não estavam boas.

Estava vivendo em um quarto que tinha alugado no Yamuna, perto do Bengali Ghat, onde estava há cinco dias quando fui vê-lo. Então disse a ele: “Prabhu, por que você está ficando aqui?” Ele era muito humilde e não queria incomodar-nos, então eu peguei sua bagagem à força e disse: “ Eu não vou deixar você viver em qualquer lugar, nos estamos aqui! Somos seus filhos, você é irmão de nosso Gurudeva e muito querido por nós. Queremos tomar conta de você e não vou agüentar ficar separado de você!” Então, eu trouxe os Brahmacaris e pegamos à força seus utensílios e os trouxemos para nossa Matha.Eu requisitei Abhay Prabhu: “Por favor, fique aqui conosco lendo o Bhagavad-Gita, escrevendo etc.

Eu pessoalmente quero servir você. Por favor, viva aqui para sempre! Nós não queremos que você fique longe de nós! O seu quarto está lá, perto do meu. Só existem os dois, o seu e o meu.” Nós tínhamos poucas facilidades a oferecer-lo porque não tinham pessoas na nossa Matha. Havia apenas um banheiro, mas o ambiente era pacífico, muito pacífico. Ele também não tinha nada, apenas o seu corpo e alma. Trazia consigo apenas algumas cópias de sua revista “De Volta ao Supremo”, seu Bhagavad-Gita mais três ou quatro volumes do Srimad Bhagavatam escritos em Bengali, e estes mesmos livros estão preservados na nossa livraria.

Só possuía isto. Nós demos a ele aquele pequeno quarto e muitos grandes livros. Narasinha Maharaja e eu doamos muitos livros em sânscrito e em bengali e, então ele começou a escrever muitos artigos em inglês, e dia e noite ele ficava em seu quarto fazendo isto. Ele também cantava Hari-nama e fazia bhajanas muito bonitos. Ele dormia apenas poucas horas pela manhã. Abhay Prabhu (Srila Prabhupada) ficou muito agradecido com este arranjo que fizemos para ficar conosco e nosso Gurudev também ficou agradecido logo que contamos á ele.

Nós sempre pediamos a Abhay Prabhu para dar aulas do Srimad Bhagavatam ,mas ele não tinha uma grande audiência, pois, poucos de nós vivíamos na Math com ele. Estávamos no começo da Kesavaji Math, então tínhamos apenas cinco ou dez pessoas, porém, pessoas elevadas e instruídas vindas de Mathura, ouviam freqüentemente as aulas de Abhay Prabhu. Eu era conhecido por fazer kirtans na Bengala e em Uttar Pradesh...então eu fazia kirtana.

Abhay Prabhu fazia a leitura explicando os versos palavra por palavra e, muitos eruditos escolares sentiam-se bastante atraídos pela aulas ministradas por ele. Também neste tempo, ele dava aulas do “Caitanya Caritamrta” à noite. Ele tinha muita devoção por Mahaprabhu e seus passatempos. Depois de tomar sannyasa, ele dava estas aulas em inglês, estava apenas praticando, pois muita gente não entendia o inglês. Abhay sempre brincava conosco.

Disse que desde menino gostava de brincar com os outros. E mesmo ele sendo mais velho e mais qualificado que eu, ele gostava de mim como um querido amigo e, não esperava reverências vindas de mim. Ele era igual a meu Gurudeva em idade e qualidade e também era muito educado e respeitado. Eu não encontrava nenhuma qualidade em mim, então, pensava, “existem tantos bons devotos, porque ele me ama assim e me concede sua misericórdia? Não sei”.

Ele me favorecia com muita afeição enquanto eu tentava servi-lo sinceramente e, assim, ele foi controlado por aquele amor. Eu brincava com ele dizendo: “Você tenta ser responsável pelos seus filhos e sua esposa, mas eles rejeitam você!” Um de seus filhos não lhe era favorável e, o outro, às vezes o ajudava mas não queria servi-lo e então eu dizia: “Prabhu, porque você não aceita mais serviços de nós? Você não deve voltar para lá. Eu vou de porta em porta para arranjar arroz e outras coisas mais para você.” Nós brincávamos juntos muitas vezes e quando ele ria era muito doce, sua brincadeira era encantadora.

Quando Abhay Prabhu veio primeiramente para Mathura para ficar conosco ele tinha uma doença, mas, humilde e silenciosamente ele a tolerava porque era expert em medicina, usava sempre a “Medicina Ayurvédica”. Eu fui afortunado quando ele confidencialmente me disse: “ Eu não tenho fé em doutores! Se eles me mandam operar eu posso morrer!”Então eu disse a ele que não podia morrer pois tinha muito serviço importante a fazer e ele concordou.

Ele era muito determinado a servir a ordem de seu Gurudeva para pregar por todo o mundo. Eu lhe disse que havia um doutor muito bom em Mathura que já havia curado outros e então eu o levei até lá. Durante toda a operação eu fiquei a seu lado. Não mencionarei detalhes porque pode soar como se eu o tivesse ajudado. E atualmente sei que ele me concebeu seu favor e misericórdia por dar-me a oportunidade de servi-lo como um amigo. Nós tínhamos muitas discussões filosóficas juntos sobre o 10º canto do Srimad Bhagavatam e líamos muitos livros juntos. Todos o glorificavam.

Ele explicava o Bhagavatam palavra por palavra depois que escrevia seus livros. Eu não aceitava nada facilmente e fazia-lhe perguntas e mais perguntas. Até com Gurudev eu fazia isto e como sempre eles me explicavam, e eu aceitava, mas somente quando ficava evidenciado a lógica dos Sastras. Algumas vezes discípulos de Bhaktissidanta não ficavam satisfeitos comigo e diziam: “Vá ate seu Gurudeva e ele o satisfará saciando sua sede!” Eu queria ir bem profundo e não aceitava nada sem que fizesse muitas e muitas perguntas. Eu era “Ladaka” em humor de lutador e era conhecido por ter fortes argumentos filosóficos. Abhay Prabhu gostava disso e, apreciava esta qualidade em mim.

Nosso Gurudeva e Abhay Prabhu eram muito lógicos e, pela lógica eles fortemente explicavam tudo.
Eu não sabia quais tópicos especiais o Swami discutia com meu Gurudeva porque eu não ficava no quarto quando eles conversavam juntos. Alguns discípulos de Bhaktissidanta não podiam falar sobre as gopis e outros tópicos. Naquele tempo,Srila Janardana Maharaja , eu e meu Gurudev éramos exceção, pois discutíamos sobre temas de alto nível, mas não com todos. Swami (Abhay Prabhu) e eu tínhamos muitas conversas intimas juntos sobre a Consciência de Krsna e outros tópicos que não posso revelar.

Abhay (Srila Prabhupada), era um expert em cozinhar deliciosos alimentos...muito deliciosos! Ele e eu cozinhávamos e oferecíamos muitas preparações. Ocasionalmente, quando ele recebia algum dinheiro, ele sempre oferecia sucos de manga para as deidades e, em seguida, ele distribuía aquela opulenta prasada a todos os brahmacaris. Ele sempre usava gui puro para cozinhar e , sempre declarava que todos os Gaudiya Vaisnavas precisavam ser expert´s em cozinhar para Krsna. Durante muitos meses Abhay ficou na Kesavaji Gaudiya Math e nós dois fazíamos arati juntos toda noite.

Ele sempre tocava muito bem a mrdanga e eu tocava karatalas e cantava. Ele gostava muito do meu canto e sempre me requisitava para liderar kirtanas. Então uma vez alguém perguntou: “Por que o Swamij não canta também?” e eu expliquei que algumas vezes ele canta mas na maioria das vezes ele fica tão imerso em sentimentos transcendentais que prefere não cantar. Eu adorava os seus cantos com canções como Gauranga bolite habe ou Vande Rupa Sanatanam

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maha Mantra



Hare Krishna Hare Krishna
Krishna Krishna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama
Rama Rama Hare Hare



LOTUS

Sri Guru-carana-padma


Sri Guru-carana-padma

Os pés de lótus de Sri Guru

Srila Narottama dasa Thakura


sri guru-carana-padma, kevala bhakti-sadma

vando mui savadhana mate

jahara prasade bhai, e bhava toriya jai

krsna-prapti hoya jaha ha’te


Os pés de lótus de Sri Gurudeva são o depósito de riquezas de sri, prema-bhakti imaculada por Krsna. Mui cuidadosamente adoro e sirvo estes pés de lótus (gurupada padma). Por sua misericórdia, ó irmão, qualquer um pode atravessar este vasto oceano de miséria e alcançar os pés de lótus de Sri Krsna.

guru-mukha-padma-vakya, cittete koriya aikya

ara na koriho mane asa

sri guru-carane rati, ei se uttama gati

je prasade pure sarva asa

As palavras que emanam da boca de lótus de Sri Gurudeva devem ser abraçadas dentro do coração. Nenhuma aspiração, além de suas palavras, deve lá entrar porque suas instruções conduzem-nos ao objetivo mais elevado – rati, ou apego aos seus pés de lótus. Por sua graça, todos nossos desejos por perfeição espiritual são satisfeitos.

caksu-dana dila jei, janme janme prabhu sei

divya-jñana hrde prakasito

prema-bhakti jaha hoite, avidya vinasa jate

vede gaya jahara carito

Ele me concede a dádiva da visão transcendental e ilumina o meu coração com conhecimento transcendental. Ele é meu mestre nascimento após nascimento. Dele emana prema-bhakti, amorosa devoção divina, pela qual a ignorância é destruída. As escrituras védicas cantam o seu caráter.

sri guru karuna-sindhu, adhama janara bandhu

lokanatha lokera jivana

ha ha prabhu koro doya, deha more pada-chaya

tuwa pade lainu sarana

(ebe jasa ghusuka tribhuvana)

Sri Gurudeva é o oceano de misericórdia, o maior amigo dos desamparados, a vida e alma de todos! Ó mestre, seja misericordioso! Ai de mim! Ó Gurudeva, dê-me sombra aos seus pés de lótus – pois a eles me rendi. (Agora sua fama se espalhará por todo os três mundos).


Ocorreu um erro neste gadget
dandavats e pranamas , hare krsna ! obrigada da visita , sempre bem vindos , haribol ... Jaya Srila Gurudeva , Srila Prabhupada Ki Jay !